Vanessa Perez

Vanessa Perez

vanessa-perez

Estudei Gestão de Empresas na Universidade de Caracas e mais tarde trabalhei para uma multinacional na área da cosmética (L’Oreal). Era mais do que um emprego, eu vivia e respirava marketing na verdadeira aceção da palavra. Mas não tinha tempo para mim a trabalhar 10 a 12 horas por dia. Em 2001, decidi ir para Espanha para me especializar em marketing, mas sabia que queria trabalhar por conta própria. Abri um franchise, mas não resultou muito bem, por isso, voltei a ter um emprego normal. Depois de nascer o meu primeiro filho, percebi que não queria continuar a depender das decisões das outras pessoas; queria aproveitar a vida com a minha família sem limitar o que poderia ganhar. Ainda tenho uma pasta chamada “projetos” no meu computador, com vários planos de ação para abertura de negócios, mas nenhum deles foi possível com uma conta bancária quase vazia.

 

Pensei durante vários meses em abrir um negócio, enquanto frequentava diferentes cursos e pensava sobre o que iria fazer. Não sou o tipo de pessoa que fica à espera de algo acontecer. Gosto de viver a vida ao máximo. A primeira vez que ouvi falar da Nu Skin foi através de uma amiga, que me recomendou o negócio, mas eu já tinha trabalhado no ramo da cosmética durante 7 anos e eu queria mesmo mudar de setor.

 

Ouvi falar novamente da Nu Skin 3 meses mais tarde. Desta vez foi uma amiga que eu não via há alguns meses e quando a vi, fiquei surpreendida. Perguntei o que ela tinha usado no rosto porque estava com ótimo aspeto! Ela falou-me num aparelho, por isso nem hesitei em usar o meu cartão de crédito para comprar um para mim. Quando a caixa chegou, não tinha a mínima ideia do que fazer, por isso encontrei-me com ela de novo e o resto foi tudo responsabilidade da Cecilia Molina e da Paz San Román.

 

Se pedir aos meus amigos para me descreverem, provavelmente irão dizer que sou uma sonhadora. A minha vida hoje é o que sonhei há 7 anos atrás, uma vez que sou eu quem decide como e quando faço as coisas. Eu sonhava poder viajar e agora, graças à Nu Skin, viajo todos os meses, em trabalho ou lazer. Adoro andar de avião. Ah, e uma dica. Peçam sempre o lugar do meio, de forma a ter sempre dois potenciais clientes com quem falar! O meu sonho era ter tempo para ver os meus filhos crescer e para poder desfrutar da companhia dos meus pais. Recentemente escrevi esta mensagem nas redes sociais: “No sábado parei um momento para refletir e agradecer por tudo o que consegui alcançar. Lembro-me bem, não há muitos anos, de como eu queria mais. Se pudesse escolher, queria ficar assim para sempre.”

 

Costumava jogar rugby; sempre gostei de desportos de equipa e essa é uma das minhas grandes motivações: ajudar cada jogador a tirar o maior partido do seu talento, porque todos nós temos um talento para alguma coisa. Em Espanha, crescemos graças ao trabalho de equipa. Adoro ver como os líderes espanhóis vivem o tipo de vida que nos disseram que poderíamos ter. A cada dia um novo desafio. Cada potencial cliente tem uma história e, graças à Nu Skin, conheci imensas pessoas nos últimos anos, muitas delas tornaram-se grandes amigos. Para dizer a verdade, é como se todos aqueles que decidem tornar este negócio num estilo de vida tivessem um gene especial. Às vezes penso se o Dr. Chang já saberia disso.

 

Para mim, a experiência mais inesquecível aconteceu cerca de 6 meses depois de ter iniciado o negócio. Ainda não tinha bem a certeza do que estava a fazer, mas fui à convenção no Utah com a Cecilia Molina Borja. A minha ideia da Nu Skin era a de um dinamarquês e um sueco a dizerem-nos coisas. Mas quando cheguei lá e vi 16.000 Distribuidores, acabei por me emocionar ao ouvir as suas histórias de sucesso. Ouvi os agradecimentos por aquilo que fazemos no Malawi e noutros países onde fazemos a diferença. E nunca irei esquecer... nunca.

 

O meu número chave é 3.000. Se não entende isto, então não está 100% envolvido no negócio. Gosto de repartir o meu trabalho em períodos 6 meses, sendo que as viagens de sucesso são sempre uma prioridade, embora o sucesso nem sempre dependa do trabalho árduo. Tenho um quadro onde registo a evolução das diferentes linhas e comparo volumes com o mesmo mês do ano anterior, o que me permite ver se melhorei ou não. A ideia é descobrir como ser ainda mais bem sucedida.

 

Mantém-me focada. Se não cumprir os meus objetivos num mês, tenho de trabalhar mais no mês seguinte para compensar. Tenho mapas de sonho por toda a casa, tabelas com objetivos, listas de nomes às quais adiciono e retiro. Tudo isto me mantém focada na minha busca pelo crescimento.

 

Eu aprendi com os melhores. Todas as noites vou para a cama sabendo que vendi mais um produto. Num dia pode ser apenas um lip gloss e no outro um TR90. É importante ter uma lista de clientes ativa e isso mantém-te motivada. Falo com as pessoas em todo o lado, na rua, no supermercado… é normal fazer recomendações. Porque não recomendar um produto de primeira classe e uma oportunidade de negócio diferente?

 

Quando comecei, tudo o que queria era ganhar um pouco de dinheiro extra ao recomendar os produtos. Rapidamente me qualifiquei como Executive, desisti e depois qualifiquei-me de novo. Foi então que encontrei alguém interessado no negócio a 380 quilómetros de Madrid. Alguns meses depois encontrei mais alguém a 630 quilómetros de distância e depois ainda uma outra a 595 quilómetros. Parecia inacreditável, considerando que Madrid era o meu local de residência. Outro problema era a falta de informação. Espanha estava apenas a começar e não havia muito apoio. Contudo, eu tive sorte por todos os pioneiros estarem em Madrid e costumávamos reunir-nos de tempos a tempos para tentar criar algo especial daquilo que nos parecia ser uma grande oportunidade. Na altura, não tinha a certeza de que conseguia fazer isto. Eu não nasci em Espanha, não estudei aqui, não fiz contactos nenhuns com o meu franchise. Eu trabalhava numa empresa pequena e a partir de casa, por isso não tinha amigos no trabalho. Mas (há sempre um “mas”) a minha cara e depois o meu corpo mudaram com o TR90, e isso trouxe de volta a minha autoconfiança. Comecei a criar a minha própria história com as minhas experiências. Estou envolvida neste projeto todos os dias. Não quero dizer com isto que devemos falar com tudo aquilo que mexe, mas temos de estar conectados e sempre à procura de empreendedores, de clientes satisfeitos. Garanto-lhe que esses desafios darão boas gargalhadas no futuro, quando se lembrar de como foi difícil começar e o quanto se divertiu mais tarde…

 

Este negócio é movido pelas emoções. Quando te sentes bem, deves tirar o melhor partido disso. Quando te sentes em baixo, contactas outros membros da tua equipa. Recarrega as baterias. Faz o que fazem as pessoas bem sucedidas. Apaixona-te por ti. Faz exercício durante uma hora, medita, vai a uma aula de yoga, qualquer coisa… mas tira algum tempo para ti, mostra o que és capaz e a tua equipa irá seguir-te. Dá o exemplo. Lê tudo o que a empresa te enviar e não esperes receber formação para tudo. Forma-te a ti mesma. Há tanta informação disponível que muitas vezes é mais fácil perguntar, mas vais acabar por ver as coisas de forma diferente quando perceberes que TU és o teu negócio e que TU és responsável pelo teu próprio sucesso.

 

Quando tive o meu segundo filho, tive de descansar durante quase 7 meses. Estava demasiado fraca para me movimentar. Foi graças à minha amiga Cecilia Molina que a equipa não se sentiu negligenciada. Pensei muitas vezes em desistir, mas comecei a sentir-me melhor quando o bebé estava quase a nascer e fui visitar uma potencial colega a cerca de 310 milhas de distância. O seu processo de qualificação começou e eu estava em casa com o bebé. Dava-lhe o meu apoio por telefone enquanto ela obtinha o seu estatuto de Executive. Foi aí que percebi verdadeiramente como funciona este negócio e de que forma a tecnologia poderia facilitar a minha vida. Então, continuei com as reuniões e com as formações e o negócio começou novamente a crescer.

 

Eu vou a todas as reuniões da empresa. Organizamos reuniões de equipa, pessoalmente ou via Skype, e webinars. Tenho sempre as minhas páginas de formação no Facebook ativas, por isso estou sempre conectada, e isso ajuda-me a transmitir informação a toda a equipa.

 

Esta oportunidade mudou a minha pele e o meu corpo e agora mudou o meu coração. As pessoas veem isso, gostam e querem-no para elas também. Não gosto de fazer comparações. Cada pessoa é única. Mas eu tento sempre estabelecer uma ligação para perceber o potencial das pessoas e ensino-as a usar isso para comunicar com as outras pessoas. Não me incomoda se alguém foi melhor do que eu. Pelo contrário, tento aprender com essa pessoa.

 

Na minha casa e na minha bolsa de maquilhagem não há outras marcas que não a Nu Skin. Essa é a melhor forma de eu dar o exemplo. Se o negócio não está a ir tão bem quanto deveria devemos perguntar-nos se somos realmente 100% fãs.

Divider